Recursos para famílias que enfrentam problemas com dependência de álcool e outras drogas

O vício é uma doença familiar

Pode parecer contra-intuitivo ou até egoísta, mas encontrar um caminho a seguir a partir do caos e da dor que o viciado (adito) provoca na família começa com a obtenção de ajuda para si mesmo – independentemente do seu ente querido procurar tratamento para o abuso de substâncias.

Já deu o passo mais importante, pois se está na nossa página é sinal de que procura respostas e recursos. Está no lugar certo.

A equipe da associação ANtídoto dedica cada novo dia a ajudar indivíduos e famílias a recuperar as suas vidas dos efeitos devastadores do álcool, outras drogas e o jogo patológico. Sabemos por experiência que o tratamento funciona, a recuperação é possível, as famílias se curam e a vida melhora.

Milhões de famílias já estiveram onde você está agora – e encontraram um caminho a seguir, um dia de cada vez.

 

Quantas famílias sofrem com o vício?

Embora seja difícil calcular o número de famílias hoje que sofrem com a dependência, sabemos que um em cada sete Portugueses enfrentará dependência ao longo da vida.  Também sabemos que a dependência é uma doença transversal, atingindo pessoas de diferentes idades, raça, sexo e género e status socio-económico. Portanto, famílias de todas as formas e tamanhos são afetadas: da família nuclear de transição às famílias monoparentais, famílias adotivas, e famílias multigeracionais.

 

O vício (a adição) é uma doença?

O vício (a adição) é reconhecido(a) como uma doença pela Organização Mundial de Saúde.  A OMS descreve a adição como “uma doença crónica primária de recompensa, motivação, memória e circuitos relacionados”. Como outras doenças crónicas, como a diabetes, asma e hipertensão, a adição geralmente envolve ciclos de recaída e remissão.

Também sabemos que a genética pode desempenhar um papel na probabilidade de desenvolver um distúrbio de uso de substâncias. Se um dos pais tem dependência de álcool ou outras drogas, o seu filho tem seis vezes mais probabilidades de desenvolver um transtorno por uso de substâncias. Assim, a doença de adição pode passar de uma geração para a outra, o que explica por que algumas famílias podem sofrer de adição mais do que outras.

A boa notícia é que, como outras doenças crónicas, a adição pode ser tratada com sucesso. A maioria das pessoas que se submete ao tratamento não para apenas de usar drogas, mas também melhora seu relacionamento social e psicológico.

 

Como o vício (a adição) afeta a família?

Viver no meio do usuário de álcool ou outras drogas faz com que os membros da família se sintam traumatizados e oprimidos; eles foram enganados e traídos. Há discussões e confrontos, bater de portas e noites sem dormir. Muitas vezes, há problemas mais sérios, como um acidente, emprego perdido, hospital ou prisão.

Os membros da família não dependentes tendem a compensar demais o membro da família dependente. Pais, cônjuges, filhos e irmãos podem desempenhar papéis diferentes (protetor, perseguidor, acusador, herói da família, mascote, filho perdido) para sobreviver ao problema do abuso de substâncias.

Não é incomum que os pais se polarizem nas suas atitudes parentais ao tentar lidar com os comportamentos do dependente filho ou filha. Eles podem até culparem-se um ao outro pelo problema. A atitude parental geralmente enquadra-se nas seguintes categorias:

. Perseguidor – Controlador, zangado, distante; acredita que a punição resolverá o problema; pode ficar isolado da família

. Protetor – ingénuo, atencioso, capacitador; acredita que o amor resolverá problemas; pode tornar-se excessivamente enredado com o filho ou filha viciado

.Blamer – Evita assumir a responsabilidade, procura um bode expiatório e coloca a culpa nos outros

 

Como pode apoiar os pais de um viciado (adito)?

A coisa mais útil que pode fazer é permanecer envolvido. Há tanto isolamento, vergonha e estigma com o abuso de substâncias, não apenas para o viciado (adito), mas também para os membros da família. Há uma sensação – por parte do viciado (adito) e de todos que o amam – de que eles fizeram algo errado quando, de fato, não é verdade, não podem controlá-lo nem curá-lo. Seja um ouvinte compreensivo e sem julgamento.

 

Onde posso encontrar ajuda para mim e para a minha família?

A associação ANtídoto oferece uma ampla variedade de recursos educacionais e serviços de apoio para ajudar os membros da família a aprender como lidar com o adito. Com cuidado e apoio, a família pode lidar com o caos que vive, entender como estabelecer limites saudáveis, adquirir novas competências de acertividade e comunicação e começar a reconstruir um relacionamento de confiança com seu ente querido.

“Somos uma força de cura e esperança para indivíduos, famílias e comunidades afetadas pelo vício do álcool e outras drogas.”

A associação ANtídoto fornece tratamento por internamento e em ambulatório para adultos e jovens em todo o país e colabora com uma ampla rede de assistência médica. Com um legado que importa dos seus fundadores a associação ANtídoto reúne liderança de pensamento, programas de educação profissional e médica , recursos de prevenção nas escolas e um programa especializado para crianças que crescem em famílias com dependência.

Para saber mais sobre os serviços de tratamento de dependências ou para iniciar uma admissão, ligue para: